A deputada estadual eleita de São Paulo Janaina Paschoal (PSL) afirmou na manhã deste sábado (24) ter apresentado todos os documentos da campanha à Justiça Eleitoral, mas que teme não poder tomar posse em 2019. A professora universitária e advogada que embasou o pedido de impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff (PT) foi a deputada mais votada da história do Brasil.

Nesta semana, a Justiça Eleitoral recomendou a desaprovação das contas da deputada estadual por não ter entregado “relatórios financeiros no prazo”, segundo análise técnica da Seção de Contas Eleitorais. De acordo com o parecer, que servirá de base para o relator do caso aprovar ou não a prestação de contas, a candidata arrecadou R$ 18,5 mil, mas não enviou os relatórios financeiros desse valor.

A análise técnica considera que por isso há “inconsistência grave que caracteriza omissão de informação tempestiva que obsta o controle concomitante de regularidade das contas pela Justiça Eleitoral, bem como o controle social, podendo repercutir na regularidade das contas finais”.

Outro ponto apresentado pelo relatório é a falta de documentos para embasar a prestação de serviços de duas pessoas, no valor total de R$ 4 mil.

“Estou numa situação difícil, pois essa não é minha área. As pessoas dizem para eu não me preocupar, mas eu fico preocupada e me sinto no dever de dar uma satisfação”, escreveu Janaina em uma rede social.

“Ademais, é muito triste ler que eu cometi uma omissão grave, quando não cometi omissão nenhuma, já que apresentei todos os documentos no dia certo! Vejam, os advogados disseram que essa situação não interfere na minha diplomação e posse. Mas eu realmente não sei”, continuou a advogada.

Ela afirmou ter enviado cópias de comprovantes para o escritório de advocacia contratado assim que iam sendo emitidos e ter enviado todos os documentos necessários. Segundo a deputada eleita, ao perguntar aos advogados, eles afirmaram que, com a informatização, os técnicos podem não ter percebido os papéis.

“Tive mais de dois milhões de votos e não sei se poderei, formalmente, representar quem votou em mim. Mas reitero o meu compromisso de trabalhar pelo país onde quer que eu esteja: na Assembleia Legislativa, na USP, na Advocacia, ou em casa”, finalizou, ao acrescentar que seu “amor ao país independe de cargos”.

Segundo o portal da Justiça Eleitoral, a campanha de Janaina recebeu R$ 65,1 mil. Desse total, R$ 58,5 mil são de recursos próprios e R$ 6,6 mil de doação do PRTB, partido do vice-presidente eleito, Hamilton Mourão.

O advogado da deputada, Cristiano Vilela, disse ao UOL que a deputada já tinha apresentado todos os documentos à Justiça Eleitoral e irá reenviar a prestação de contas à Justiça.

https://noticias.uol.com.br/politica/ultimas-noticias/2018/11/24/janaina-paschoal-diz-ter-apresentado-documentos-mas-temer-nao-tomar-posse.htm

https://noticias.bol.uol.com.br/ultimas-noticias/brasil/2018/11/24/janaina-paschoal-diz-ter-apresentado-documentos-mas-temer-nao-tomar-posse.htm

Write a comment:

*

Your email address will not be published.

VSG Advogados

Orgulhosamente desenvolvido por EscaEsco Comunicação.